Estão abertas as inscrições para a pós-graduação em Arteterapia – curso que a Integrarte - Centro de Atividades, de Belo Horizonte (MG), promove há anos na cidade de Curitiba (PR), em parceria com a Faculdade Vicentina.

As aulas são realizadas nas dependências da FAVI, localizada na Av. Jaime Reis, 531A, no bairro São Francisco. E as atividades da próxima turma terão início no dia 17 de agosto.

Processo terapêutico

arteterapia 2O homem utiliza a arte desde o tempo das cavernas, mas a arte como base para uma terapia vem sendo pesquisada e aplicada desde o século 19. A Arteterapia, como diz o nome, é o uso da arte como terapia em um processo terapêutico que visa estimular o crescimento interior, abrir novos horizontes e ampliar a consciência do sujeito sobre si e sobre sua existência.

Utiliza a expressão simbólica através de várias modalidades expressivas, sendo essas usadas de forma espontânea, tais como pintura, modelagem, colagem, desenho, tecelagem, expressão corporal, sons, música, criação de personagens e outros. Fundamentalmente, trabalha com as artes plásticas com a finalidade de propiciar mudanças psíquicas e a expansão da consciência, reconciliação de conflitos emocionais, autoconhecimento e desenvolvimento pessoal. Pode ser aplicada individualmente ou em grupo, em crianças, adolescentes, adultos, terceira idade ou pessoas com necessidades especiais.

Na Arteterapia, são criados vários canais de comunicação não-verbal, e a expressão do inconsciente é facilitada através de recursos plásticos que permitem o direcionamento da energia psíquica na produção criativa.

Ao ordenar, estruturar e transformar os diferentes materiais em arte, o indivíduo, analogamente, também cria condições internas de ordenação, estruturação e transformação. “Os símbolos que surgem nos sonhos e nas produções plásticas revelam claramente como e onde as energias psíquicas perderam a harmonia. E é isso que faz o ser adoecer, como já demonstrado pela psicossomática”, esclarece a psicóloga e arteterapeuta Otília Rosângela Souza, diretora da Clínica Integrarte - Centro de Atividades, com larga experiência na área, atendendo individualmente e em grupos no Brasil e exterior.

A arteterapeuta Otília Souza acrescenta ainda que trabalhar com a criatividade e múltiplos processos de criação permite que elementos da natureza e do próprio dia a dia insiram-se no cotidiano, possibilitando uma maior interação do homem com o ambiente e grupo social, levando-o a desfrutar de uma vida mais saudável.

arteterapia 1A Arteterapia pode ser aplicada em empresas ou instituições. Neste caso, o trabalho visa ao desenvolvimento da criatividade, do potencial pessoal e a diminuição do stress. Em escolas, trabalha o desenvolvimento da criatividade, e o processo que o criar envolve: medo da expressão, do julgamento, ansiedade, autoestima, segurança nos relacionamentos. Em consultório, o arteterapeuta vai conhecer o cliente por meio das imagens produzidas e ajudá-lo no autoconhecimento e equilíbrio interior.

Considerada como uma terapia que propicia resultados em um breve espaço de tempo, a Arteterapia vem crescendo no Brasil nas últimas décadas. Existem associações de Arteterapia em 12 estados do Brasil, todas pertencentes à União Brasileira das Associações de Arteterapia (UBAAT). Já foram realizados vários congressos nacionais e internacionais, que reuniram profissionais de várias regiões brasileiras, da Europa e da América do Norte, onde a Arteterapia é bastante difundida. Em 2011, a cidade de Ouro Preto (MG) sediou o III Congresso Latino-Americano de Arteterapia, do qual Otília Rosângela Souza foi a organizadora. Em outubro de 2018, acontecerá o XIII Congresso Nacional de Arteterapia, em Santa Catarina.

Neste link, estão disponíveis informações sobre matriz curricular, corpo docente, calendário de aulas e investimento.

Inscrições

As inscrições podem ser realizadas pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Para saber mais, entre em contato pelo telefone: (41) 99697-5313.

Veja o vídeo com a coordenadora da pós-graduação em Arteterapia, Ms. Otília Rosângela Souza, explicando as diversas aplicações do curso:

Foto: Freepik

O segundo semestre se aproxima e traz consigo mais uma oportunidade para quem quer ingressar no ensino superior ainda em 2018. Estão abertas as inscrições para o Vestibular de Inverno da Faculdade Vicentina, que disponibiliza vagas para o curso de bacharelado em Teologia.

A avaliação deve ser realizada entre os dias 19 e 25 de julho de 2018, no período da manhã, na sede da FAVI (Av. Jaime Reis, 531A), em Curitiba (PR). Aos candidatos, será solicitada uma redação a respeito de tema relevante da atualidade, com prazo de duas horas para elaboração.

Para agendar a prova e obter mais informações, basta entrar em contato pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo telefone (41) 3222-7716. A taxa de inscrição é de R$ 85.

O curso de Teologia da Faculdade Vicentina é aberto a todos que possuem Ensino Médio completo, sejam leigos ou religiosos. Nesta página, estão disponíveis informações gerais sobre a graduação, incluindo grade curricular e corpo docente.

Confira o Edital do Vestibular de Inverno 2018 (pdf).
Saiba mais sobre a Graduação em Teologia.

Dica de quem já concluiu o curso

Celsita Stete passou a ser aluna da Faculdade Vicentina em 2009. A porta de entrada foi a graduação em Teologia, uma área que a interessava desde a infância. Desde então, não parou mais. Já está cursando sua quinta especialização. Confira quais são os aspectos que Celsita destaca sobre a qualidade de sua formação.

Serviço
Vestibular de Inverno 2018 - Faculdade Vicentina
Prova agendada: de 19 a 25 de julho, das 8h às 11h.
Inscrições: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. - (41) 3222-7716.

No mês de maio de 2018, alunos do primeiro e do terceiro ano de Filosofia da Faculdade Vicentina fizeram parte das atividades relacionadas à celebração de Corpus Christi na Igreja São Vicente de Paulo, localizada no bairro Mercês, em Curitiba, ao lado da FAVI. Eles foram acompanhados pelo Pe. Edson Friedrichsen, que também integra a comunidade acadêmica da faculdade e, até o ano passado, exercia o cargo de administrador.

A seguir, está o relato deles sobre esta experiência de convivência com a comunidade e sua importância para a formação:

“Durante a semana que antecedeu o evento de Corpus Christi da Arquidiocese de Curitiba, os seminaristas vicentinos Alisson, Fernando, Gabriel e Igor ajudaram na pintura das pedras que seriam utilizadas na confecção do tapete, junto com a comunidade da Paróquia São Vicente de Paulo. Foi um momento de interação e conhecimento maior da realidade da paróquia e dos paroquianos.

Os seminaristas, citados acima, também se fizeram presentes na confecção do tapete no dia de Corpus Christi (31 de maio). Logo amanhecendo o dia, a comunidade se reuniu no salão paroquial para iniciarem as atividades com um momento de oração, o pároco Padre Edson Friedrichsen deu-nos a benção e partimos rumo à Avenida Cândido de Abreu para iniciar a confecção. Chegando no local, o tapete foi confeccionado. O que nos chamou a atenção foi a disponibilidade da senhora Palmira (paroquiana), que se preparou com um café maravilhoso, tanto para aqueles que estavam trabalhando, quanto para os moradores de rua que por ali passavam. Damos destaque também para a participação das Irmãs, Filhas da Caridade e dos jovens da Juventude Mariana Vicentina (JMV). Os jovens participaram pela primeira vez da confecção do tapete. É de grande importância a participação deles, visto que o grupo é novo e são essas atividades que os motivam e fortalecem a caminhada como jovens engajados na Igreja e participantes nas atividades da Paróquia.

O evento de Corpus Christi de 2018 foi um momento maravilhoso. Segundo o nosso Arcebispo José Antônio Peruzzo, estiveram presentes mais de 100 mil pessoas (Arquidiocese de Curitiba). A fé que nos move é algo que motiva a nossa caminhada vocacional. Ao ver aquelas pessoas cantando e rezando alegres ao confeccionar os tapetes, sentimos a real presença de Jesus; ao ver aqueles que saem felizes ao receber um sanduíche que a dona Palmira dava, também sentimos a presença de Jesus; ao ver uma criança implorando para a mãe deixá-la ajudar na confecção, também sentimos a presença de Jesus. Essas simples ações que acontecem em nossa vida são como um combustível que nos alimenta, as atividades que realizamos junto com a comunidade nos preparam para a nossa vida de missionários dentro da Congregação da Missão.

Portanto, agradecemos pela oportunidade de participar desse evento e também por podermos partilhar um pouco do que foi o mesmo. Ficamos felizes em colocarmos em prática o trabalho em favor dos outros e da Igreja, principalmente pelo fato de termos leigos nesse trabalho junto. O Corpus Christi é um evento de grande importância para a nossa caminhada como Igreja. Sendo ele a celebração do Corpo e Sangue de Cristo, faz com que a Igreja esteja mais próxima de Cristo e também é uma oportunidade de vermos que a religião católica não está “morta” como muitos dizem, mas sim está cada vez mais forte. Cabe a nós, principalmente, missionários da Congregação da Missão, levarmos esse Jesus àqueles que mais necessitam: os Pobres, como dizia nosso fundador São Vicente de Paulo ‘Nossos Mestres e Senhores’.”

Colaboração (texto): seminaristas vicentinos
Colaboração (fotos): Pe. Edson Friedrichsen e seminaristas vicentinos

A Faculdade Vicentina busca a promoção integral do ser humano, por meio da educação superior de qualidade. Para isso, conta com uma equipe de professores mestres e doutores, profissionais competentes e alunos dedicados. E para compreender quais aspectos são mais valorizados na formação e no cotidiano da instituição, a FAVI pediu que alunos da pós-graduação que concluíram seus estudos neste ano fizessem um relato sobre suas experiências.

Currículo dos cursos, estrutura e ambiente acolhedor

As estruturas curriculares dos cursos oferecidos logo chamaram a atenção de Cleverson Leandro da Silva, professor de 38 anos que ingressou na especialização em Bíblia 1, com ênfase em Jesus Cristo, em 2012. E, recentemente, terminou a especialização em Bíblia 2, com foco no Antigo Testamento. “Minha experiência na FAVI foi ótima, tanto é que, na minha segunda pós-graduação na instituição, convidei minha esposa e cursamos juntos o curso de Bíblia. Difícil é dizer o que mais gostei na FAVI, pois são muitos os pontos positivos: o ambiente gostoso e acolhedor, o nível de formação dos professores, a estrutura da instituição, a assessoria da coordenação, a rica biblioteca, o bom atendimento e atenção de todos os funcionários, as boas amizades que fiz no curso e, sobretudo, o ensino sempre focado na vivência cristã”, conta.

Cleverson afirma que tem a intenção de continuar estudando e que a Faculdade Vicentina contribui com a sociedade, preparando as pessoas para a vida. “Os cursos que fiz na instituição me proporcionaram entender, pelo uso da razão, a minha fé. Ajudaram a sistematizar o que já trazia no coração”, reconhece o aluno.

Ampliação do campo de visão e amadurecimento

IMG 8596O seminarista Fernando Sales da Silva, de 29 anos, classifica sua experiência na FAVI como excelente. “Os professores são ótimos. O clima fraterno, a amizade entre os alunos e a atenção dos colaboradores fazem a diferença”, declara.

Fernando começou a pós-graduação em Espiritualidade em 2015 e destaca como pontos positivos: a grade curricular, o bom atendimento e a atenção recebida quando precisou de informações. Sobre o conteúdo, ele avalia que “amplia o campo de visão, fornecendo condições de refletir sobre as diversas teorias, possibilitando assim uma nova prática pastoral, também um processo de amadurecimento espiritual”.

Experiência de vida transformadora

Por intermédio de colegas da Congregação das Irmãs da Divina Providência, Ir. Maria José de Lima conheceu a Faculdade Vicentina e ingressou na pós-graduação em Espiritualidade, em 2016, interessada nas disciplinas que compõem o curso.

Hoje, com 58 anos de idade e toda a experiência como agente de Pastoral, pode afirmar que o curso fez diferença em sua vida: “me ajudou a querer continuar aprofundando temas relacionados à espiritualidade e à Bíblia. A experiência de vida de alguns professores, testemunho de compromisso com o projeto de Jesus Cristo, me edificaram”.

No decorrer dos módulos, além dos conteúdos, Ir. Maria José também passou a valorizar a preparação das aulas, o ambiente harmonioso e familiar, o relacionamento entre os alunos e os professores e funcionários, a biblioteca e o fácil acesso aos livros necessários. “O curso é muito bom pelo seu conteúdo e possibilita aprofundamento dos temas, pela bibliografia oferecida. Amplia os conhecimentos para o trabalho, seja na Pastoral ou na Congregação, como também para o crescimento pessoal”.

Conteúdo diversificado, aspecto humano e práticaGladis na Biblioteca1

Para Ir. Francisca Machado Sombrio, de 59 anos, que também atua no serviço pastoral, a possibilidade de aliar teoria e prática foi um ponto essencial para sua escolha pela especialização em Espiritualidade. “Chamou-me a atenção o conteúdo programático tão diversificado, dando a entender que possibilitaria um amplo conhecimento da espiritualidade. Isso me fez perceber que se tratava do curso que desejava fazer, pois me ajudaria a compreender melhor os diferentes aspectos da espiritualidade e, consequentemente, colocar em prática na minha vida e missão. (...) Com certeza, indico o curso para outras pessoas consagradas ou leigas, pois ele é de grande importância para quem deseja aprofundar seus conhecimentos teóricos e fortalece para a vivência pessoal da espiritualidade”.

“Com conteúdos muito próprios e professores competentes, diálogos e leituras, o curso possibilitou ampliar meus conhecimentos na área da Teologia, principalmente no aspecto da Espiritualidade. Fortaleceu minha própria experiência pessoal da espiritualidade cristã, dando mais fundamento para minha Vida Consagrada e missão”, relata a religiosa.

Ir. Francisca também destaca a compreensão e o apoio da coordenação aos participantes de outros estados e aos alunos muito ocupados, com atendimento personalizado e envio frequente de recados e recomendações. “Percebi se tratar de uma faculdade que não perde sua qualidade, tendo bastante presente o lado humano do aluno, pois cada aluno tem seu interesse em fazer o curso. Tanto com os professores, como com os colegas, o clima foi de muita fraternidade”, explica.

Por que estudar na Faculdade Vicentina?

Aluna da Faculdade Vicentina desde 2009, Celsita Maria Graciela Diaz Stete já concluiu a graduação em Teologia e quatro cursos de pós-graduação. Em 2018, iniciou a quinta especialização na FAVI. Conheça um pouco desta história de amor ao conhecimento:



Depois de uma trajetória profissional bem-sucedida, Celsita decidiu estudar uma área que a interessava desde a infância. Neste vídeo, ela conta quais são as razões que a fazem escolher a Faculdade Vicentina e desejar continuar os estudos.



Fotos: Geovanni C. De Luca e arquivo da FAVI

Está chegando a Semana de Provas de encerramento do segundo bimestre de 2018. Por isso, a comunidade acadêmica da Faculdade Vicentina já está se preparando para esta etapa tão importante da formação, de valorização de todo o conteúdo trabalhado até então.

As avaliações começam no dia 28 de junho (quinta-feira) e terminam no dia 6 de julho (sexta-feira).

Abaixo, está disponível o calendário de provas da graduação em Filosofia (1º, 2º e 3º anos) e do curso Propedêutico.

A direção deseja bons estudos e boas provas a todos!

Provas 2b

CALENDÁRIO.PDF

“É com alegria que plantamos mais uma semente no jardim da filosofia”, afirma o professor Ms. Eli Carlos Dal’Pupo, no editorial da nova edição da Tabulae - Revista de Philosophia – publicação da Faculdade Vicentina que impulsiona a disseminação do conhecimento, no que diz respeito às pesquisas filosóficas e áreas afins. E que incentiva, também, os questionamentos, debates, sintetizações e formulações de novas teorias.

A edição número 21 apresenta seis artigos científicos, com fundamentação teórica e reflexões atuais e inovadoras sobre grandes temas que fazem parte do dia a dia do ser humano e da sociedade. Além da versão impressa (disponível na biblioteca da FAVI), a revista pode ser acessada pelo site da Faculdade Vicentina.

>>> Acesse a edição nº 21.

“A Filosofia é a casa da tolerância, do respeito e da valorização das ideias. Mesmo nos momentos em que a densa neblina parece ofuscá-la ou escondê-la, ela lá está, firme em seu propósito de levar aos homens a esperança da construção de um mundo melhor”, explica o professor Eli.

E complementa: “A Tabulae quer continuar proporcionando oportunidade para discussão de ideias que valorizem o ser humano e que ensinem-no a superar os obstáculos da vida e aprender com eles”.

Para ler as edições anteriores da Revista Tabulae, basta acessar esta página e fazer download dos artigos escolhidos.

No diálogo Górgias, escrito por Platão, é possível encontrar uma anedota que passa quase despercebida aos olhos do leitor apressado. Cálicles e Sócrates, personagens do diálogo, discutem a respeito da importância da Filosofia, quando o primeiro aconselha Sócrates a abandonar a atividade filosófica, alegando que ela não oferece nada de útil à sociedade: não constrói casas, não gera riquezas, não salva vidas. “Se prosseguir filosofando até uma idade avançada, forçosamente ficará ignorando tudo o que realmente importa conhecer [...] é procedimento ridículo, indigno de homens e merecedor de açoites. É precisamente isso que se dá comigo com relação aos que se dedicam à Filosofia”, argumenta ele.

Na linguagem habermasiana, Cálicles representa os ideais tecnocratas daqueles que desejam silenciar a atividade filosófica, em favor de uma agenda mais positivista, alimentada pela lógica capitalista que transforma saberes em produtos, disponibilizando-os para aquisição no Mercado. Para eles, os homens deveriam se dedicar à atividades “mais importantes”, aquelas que podem, de forma pragmática, contribuir com o tão desejado desenvolvimento social, fomentando o progresso da humanidade. Sócrates, o interlocutor que não se deixa ludibriar pela argumentação astuta e revestida de boas intenções, explica para o amigo que deixar de filosofar é simplesmente impossível, porque é impossível deixar de se espantar com a existência. A Filosofia nasce e se renova no embate do homem frente ao mundo, e isso não se pode silenciar: matar a filosofia significa matar o próprio homem.

Resgatando uma moldura típica do Regime Militar, no Brasil tramitam propostas legislativas que pretendem excluir a oferta de cursos da área de Ciências Humanas nas Universidades Federais. Seria essa a forma do progresso? No âmbito Federal, em nome de um projeto de modernização, a Reforma do Ensino Médio eliminou as disciplinas de Filosofia e de Sociologia da grade curricular obrigatória; agora elas são optativas. Lamentavelmente, chamam isso de autonomia.

A nova ordem econômica é enxugar gastos, e a Filosofia não está a salvo dessa exigência. Como se fosse possível formar bons cidadãos e cientistas competentes sem recorrer aos pressupostos filosóficos que servem de suporte fundamental para a própria ciência. A Biologia e a Medicina precisam da Filosofia para problematizar o mistério da vida; o mesmo se passa com a Física e a Química que necessitam da Filosofia para levantar questões acerca da origem da matéria. A Filosofia é indispensável para a formação intelectual alicerçada em valores republicanos, acreditar no contrário seria um erro absurdo. Fazendo coro as sábias palavras de Cassirer: “A filosofia não se separa da ciência natural, da história, da ciência do direito e da política, mas, de certo modo, constitui para todas elas a respiração vivificante, a única atmosfera na qual podem existir e atuar".

Ainda que as articulações políticas e as convulsões súbitas pareçam ameaçar a tranquilidade da reflexão filosófica, elas são, na verdade, estertores de uma realidade que está prestes a morrer, e que, por reconhecer essa inevitável fatalidade, revoltam-se mais ferozmente contra a Filosofia. Por tudo isso, mais do que nunca: Sapere Aude!

Artigo de Edimar Brígido - Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Professor da Faculdade Vicentina.

Acesse o texto em PDF.

Mais Artigos...